Smart 2020 em Portugal e as Autarquias


image

A APDC realizou um estudo que pretende projectar o papel das TIC numa estratégia de sustentabilidade de longo prazo denominado Smart 2020 Portugal, onde, naturalmente, também elabora sobre o papel das Cidades nesta estratégia.

O Estudo pode ser encontrado aqui, e aconselho uma especial leitura na componente das Smart Cities. Diz lá que as Cidades e as TIC tem um papel crucial em duas vertentes chave:

Desenvolvimento urbano sustentado – as TIC dão aos planeadores, arquitectos e consumidores acesso à energia sustentável, criando uma parceria sustentável multi-interveniente, monitorizando e medindo a utilização da energia, identificando áreas chave de intervenção e equilibrando permanentemente a utilização de energia e de níveis de conforto, ao longo de toda a cadeia da concepção ao consumo eléctrico;

Mobilidade sustentável – as TIC são um factor chave na criação de uma estrutura integrada, uma visão para transportes urbanos incluindo o investimento e os cenários, medindo e monitorizando resultados e, seguidamente, passando os benefícios (e custos) directamente para utilizadores de mobilidade sustentável.

in Estudo “Smart 2020 Portugal”, Pag 111

Concordando, gostava de salientar o aspecto da monitorização abordado no primeiro ponto, relembrando a frase de Peter Druker.

If you can’t measure it, you can’t manager it.

Monitorização de indicadores

As cidades (as autarquias, a administração local) gerem uma quantidade enorme de aspectos da vida económica, social, cultural, ambiental, financeira, etc… das nossas vidas. A sustentabilidade destas partes do território consegue-se com uma articulação muito sensivel destas áreas e isso quase nunca é fácil. Muitas vezes, gere-se com base em informações de qualidade que nem sempre é a desejavel. A informação para ser útil tem de ser actual, estar no formato certo, e com base em informação de qualidade.

O ponto que a queria fazer era relativo à necessidade de dispor de ferramentas de apoio à decisão e à monitorização. Deixava-vos algumas referência para ferramentas passíveis de constituirem como elementos fundamentais de apoio à decisão.

  • City Manager desenvolvido pela Infusion para a cidade de New Jersey (EUA) poder gerir a informação dos seus diferentes organismos e poder obter uma visão integrada de inúmeros indicadores (ver folha descritiva da solução)
  • Reuniões de Câmara Digitais, reduzindo muito significativamente o consumo de papel numa função crítica da gestão autárquica.

Outros exemplos haverão.

Voltarei a eles noutras ocasiões.

Anúncios

One thought on “Smart 2020 em Portugal e as Autarquias

Os comentários estão fechados.