Cidadania 2.0 no Porto nos dias 26 e 27 de Setembro de 2014


cidadania20O evento Cidadania 2.0 pretende estimular a discussão sobre novas formas de comunicação no seio da sociedade em Portugal, procurando:

  • enfatizar a importância do diálogo entre Governo, Administração Pública, ONGs e os cidadãos em geral
  • dar a conhecer exemplos concretos do que pode ser feito nesse sentido, alertando para os desafios, mostrando oportunidades, e partilhando resultados
  • inspirar as organizações portuguesas a experimentar as ferramentas sociais para iniciar o diálogo com aqueles que servem, ou com aqueles de quem precisam para ir ao encontro dos seus propósitos
  • oferecer pontes, contactos, orientações que permitam alavancar projetos idealizados ou já implementados de cidadania 2.0.

Destinatários

O evento destina-se a:

  • responsáveis e representantes do governo nacional e local
  • responsáveis e representantes de organizações públicas
  • responsáveis e representantes de organizações não governamentais ou sem fins lucrativos
  • responsáveis e representantes de organizações privadas interessadas num maior diálogo entre o sector público e os cidadãos
  • cidadãos em geral, especialmente os mais interessados no aumento desse diálogo

Organização

O Cidadania 2.0 tem sido uma realização da Knowman que conta com o trabalho voluntário de três pessoas:

Ana NevesAna Neves, aka @ananeves, é CEO da Knowman onde trabalha com empresas públicas e privadas, em Portugal e no estrangeiro.

Durante os 8 anos que viveu em Londres, foi Knowledge Consultant na Headshift, Knowledge Manager em Agências do Ministério da Saúde britânico, Cultural Change Manager numa grande instituição financeira.

É responsável pelo KMOL, concebeu o Social Now, e tem o prazer de poder conhecer pessoas fantásticas durante os eventos em que participa, muitas das vezes como oradora convidada nos temas de gestão de conhecimento, redes e ferramentas sociais, e… cidadania 2.0.

 

Ana SilvaAna Silva, aka @AnaDataGirl, é licenciada em Gestão pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto, e pós-graduada em Gestão da Informação e Marketing Intelligence pela EGP-UPBS. Acumula a responsabilidade pela área de Digital Marketing e Social Media num grande grupo industrial com a paixão pelas potencialidades das novas plataformas colaborativas da Web.

Co-organizou a conferência IMPACT0, uma reflexão sobre as repercussões dos fenómenos Web 2.0 e social media no mundo dos negócios, na EGP-UPBS, e a Talks 2.0: Happiness and Creativity in Your Work Life. É docente do módulo de Enterprise 2.0 na Pós-Graduação em Gestão da Informação e Marketing Intelligence na EGP-UPBS.

 

Vitor SilvaVitor Silva é licenciado em Informática de Gestão pela Universidade Portucalense e atualmente Team Leader numa empresa de TI.

Vitor Silva dinamiza também o podcast O Porto em Conversa e faz parte da direcção da ONG de Ambiente Campo Aberto.

Tenta ligar estes dois mundos – TI e Sociedade, Virtual e Real – através da promoção e participação em projetos relacionados com transparência e dados públicos.

Os melhores e os piores municípios no ranking de transparência municipal


Índice de Transparência Municipal (ITM), elaborado pela TIAC, Transparência e Integridade, Associação Cívica,  mede o grau de transparência das Câmaras Municipais através de uma análise da informação disponibilizada aos cidadãos nos seus websites.

Partilhamos os ranking dos municípios mais e menos transparentes, à luz do ITM.

Os 10 melhores                                                                                                                                         
1-Figueira da Foz
2-Alfândega da Fé
3-Batalha
4-Abrantes
4-Ferreira do Zêzere
6-Aveiro
7-Oeiras
7-Vizela
9-Coimbra
9-Guimarães
9-Mirandela
9-Pombal
Os 10 piores
Calheta (Açores)
Montalegre
Santa Cruz das Flores
Belmonte
Fornos de Algodres
Oleiros
Vinhais
Lajes das Flores
Soure
Corvo
Melgaço
O Índice de Transparência Municipal (ITM) é composto por 76 indicadores agrupados em sete dimensões:
  1. Informação sobre a Organização, Composição Social e Funcionamento do Município;
  2. Planos e Relatórios;
  3. Impostos, Taxas, Tarifas, Preços e Regulamentos;
  4. Relação com a Sociedade;
  5. Contratação Pública;
  6. Transparência Económico-Financeira;
  7. Transparência na área do Urbanismo.
Todos os detalhes metodológicos bem como os resultados globais do ITM poderão ser consultados na secção Documentos. do TIAC, Transparência e Integridade, Associação Cívica.

Orçamento participativo de Lisboa


Está em marcha o Orçamento Participativo de Lisboa, porventura o maior exercício de cidadania participativa do País. Com mais de 18.000 votantes na edição do ano passado (2011) prevê-se que aumente significativamente a participação neste ano fruto do alargamento do período de votação (até final de outubro), da crescente visibilidade da iniciativa e do número (também crescente) de projetos que vão a votos.

Este ano estão duas categorias a votos:

Não obstante o montante global postos a votos ser inferior (este ano “apenas” 2,5 milhões de Euros) – a crise assim obriga – não deixa de ser um exercício de cidadania participativa importante e que estabelece exemplo para muitos outros municípios.

É certo que existem inúmeros outros municípios com exercícios semelhantes… querem partilhar outros exemplos?

Fontes de informação: Começou a 5.ª Edição do Orçamento Participativo de Lisboa!

Autarquias – Go Social Now!


image

É sabido que a administração pública tem de reduzir despesa, que tem de aumentar eficácia, que tem de melhorar a sua capacidade de prestar serviço às populações.

Pois bem, as redes sociais e suas ferramentas podem permitir grandes reduções de custo e grandes aumentos de eficiência e ser instrumentais para atingir estes objectivos.

É este o mote do evento Social Now que se vai realizar no Porto nos próximos dias 27 e 28 de Junho.

O Social Now é um evento com um formato muito original

É um evento para organizações que:

  • Querem perceber como podem as ferramentas sociais ser usadas no contexto organizacional
  • Precisam de entender quais as verdadeiras diferenças entre as muitas ferramentas no mercado
  • Estão curiosas quanto aos aspetos a considerar ao analisar uma ferramenta social
  • Querem reduzir custos e aumentar a eficiência organizacional, usando novas ferramentas, complementando as que já têm e/ou repensando processos.

Porque é que que o evento é especial?

Porque, para além de keynote speakers de grande qualidade, vão ser demonstradas 13 ferramentas como resposta às necessidades de uma mesma empresa fictícia. Esta deverá ser a melhor forma de comparar as vantagens e desvantagens de cada ferramenta no contexto de uma organização.

E como se isso não bastasse, um painel vai colocar questões para tentar perceber melhor cada uma delas mas também para destacar  aspetos importantes na análise de uma ferramenta social.

O site do evento: http://socialnow.org
Pequeno vídeo sobre o evento: Social Now – Why is it unique?

Ah, se já estiver a criar na sua cabeça razões para não vir, dê uma olhada em Frequently Used Excuses (Not) To Come.

Município de Pombal promove evento dedicado à Gestão Documental


O Município de Pombal, em parceria com a Normática, vai organizar no próximo dia 6 de Junho o evento «Autarquias 3.0 – O Poder da Integração das Aplicações na Administração Local».

No decorrer do evento, que terá lugar no Teatro-Cine de Pombal a partir das 9:00 horas, serão apresentados alguns dos projetos implementados pela autarquia na área da gestão documental.

No centro desta iniciativa, que vai contar com a presença de Feliciano Barreiras Duarte, Secretário de Estado Adjunto do Ministro-Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, estará uma demonstração do projeto de gestão documental Webdoc 2.0, implementado pela Município de Pombal.

Além deste projeto, o nosso Município irá apresentar duas outras aplicações de desmaterialização de processos na área do Urbanismo e reuniões de Câmara.

Programa

  • 9:00 – Receção
  • 9:30 – Boas Vindas: Engº Narciso Mota (Presidente da Câmara) | Dr. Martinho Almeida (Presidente do Conselho de Administração da Normática)
  • 9:50 – Modernização da Administração Local: Dr. Feliciano Barreiras Duarte (Secretário de Estado Adjunto do Ministro-Adjunto dos Assuntos Parlamentares)
  • 10:20 – Apresentação Normática e Visão para as Autarquias Locais: Pedro Soeiro (Centro de Competências OutSystems da Normática)
  • 10:40 – Coffee Break
  • 11:00 – Live Demo – Aplicações no Município de Pombal – WebDoc 2.0, WebMeeting, WebSigu: Nuno Salvador (Município de Pombal) | Vera Pereira e Bruno Rodrigues (Normática)
  • 12:00 – Debate
  • 12:45 – Encerramento

Assista ao Webcast em http://www.ustream.tv/channel/autarquias-3-0

 

Portal do Executivo na CM de Cascais


A Câmara Municipal de Cascais implementou uma Solução para desmaterializar os processos de elaboração de propostas e de tomada de decisão, bem como para digitalizar as Reuniões de Câmara, com recurso ao CaveDigital Board Meeting: o Portal do Executivo da Câmara Municipal de Cascais.

Os processos, com a eliminação da tramitação física, passam a beneficiar dum ganho …potencial de agilidade para as aprovações.

Em harmonia com a utilização do Cartão de Cidadão, é possível despachar e assinar digitalmente as propostas para Reunião de Câmara.

A agenda da Reunião de Câmara e votação eletrónica são também suportadas, podendo o Executivo Camarário acompanhar a reunião e consultar as propostas em discussão a partir do seu portátil ou tablet.

As Reuniões de Câmara públicas são acompanhadas pelo público, recorrendo à projeção da agenda e duma barra que resume a reunião, dando-se assim mais um passo por este Município no sentido da Democracia Digital.

IDC premeia Lisboa e Seixal e dá menção honrosa a Pombal e Amadora


As autarquias de Lisboa e Seixal estão entre os premiados nos CIO Awards para os melhores projetos TIC em Portugal.

Pombal e Amadora receberam menções honrosas.

As todos os premiados, parabéns.

Sistema de Gestão e Planeamento de Intervenções
Câmara Municipal de Lisboa, Manuel Salgado

O Sistema de Gestão e Planeamento de Intervenções (SGPI) que centraliza os dados relativamente às intervenções previstas para a cidade pelas várias direções municipais e que permite aceder a um conjunto de dados, em tempo real, sobre as intervenções municipais, possibilitando o controlo da sua execução e, consequentemente, o planeamento da atividade dos serviços municipais com participação na realização das intervenções, bem como a gestão dos respetivos recursos financeiros e humanos.

WikiCMSeixal
Câmara Municipal do Seixal, Célia Pestana

Desenvolvimento de uma plataforma de gestão e promoção do conhecimento designada por WikiCMseixal – Portal do conhecimento, baseada em tecnologia web 2.0. O projecto, disponível para todos os trabalhadores da autarquia vai para além de um mero repositório de informação, pois incentiva a práticas colaborativas de partilha de conhecimento individual que se transforma em conhecimento organizacional. Permite saber em tempo real em que área é que cada trabalhador está a desenvolver a sua actividade e disponibilizar suporte de conhecimento e de informação actualizada para balcão único de atendimento multicanal. O projecto permite ainda suportar o conhecimento para todos os projectos transversais, em particular os que obrigam ao trabalho interdisciplinar.

Menções Honrosas

1. Banco Best, Luis Filipe Rodrigues, CIO
2. Câmara Municipal da Amadora, Helena Godinho Dias Tavares, diretora de departamento modernização e TIC
3. Escola Superior de Comunicação Social, Dr. André Sendin, vice-presidente
4. Município de Pombal

Referências para os projetos autárquicos premiados

Autarquia

Projeto (link)

Lisboa Sistema de Gestão e Planeamento de Intervenções
Seixal WikiCMseixal
Amadora (referência não encontrada)
Pombal Contact Center

 

Continue a ler IDC premeia Lisboa e Seixal e dá menção honrosa a Pombal e Amadora

Avaliação de Desempenho de profissionais de TICs na AP


Estamos numa altura em que todos os trabalhadores da AP (Administração Pública) têm preocupações na definição de objetivos para a avaliação de desempenho para o ano de 2012.

Todos os avaliadores são chamados a definir os melhores objetivos para avaliar de forma mais justa os seus avaliados. Não pretende este artigo apontar as virtudes nem os defeitos do SIADAP (Sistema Integrado de Avaliação de Desempenho na Administração Pública), previsto na Lei n.º 66-B/2007 de 28 de Dezembro, mas sim aflorar a importância na criação de SLAs (Service Level Agreement) para medir o desempenho dos avaliados em geral e dos serviços de Tecnologias de Informação em particular.

Se em algumas áreas a definição de objetivos pode ser um exercício complexo, na área das Tecnologias de Informação tal tarefa estará mais facilitada, bastando para isso recorrer à implementação de sistemas de gestão de atividades realizadas.

Entrando num exemplo concreto, a avaliação do serviço de Helpdesk (apoio aos utilizadores), é precisamente um dos que mais facilmente se podem definir SLAs e a sua medição. Para tal, é necessário o recurso a sistemas de gestão de Tickets, que facilmente registam a criação dos pedidos, assim como o seu fecho.

Existem várias soluções de gestão de Tickets que os departamentos de TICs podem recorrer para poder medir os indicadores de desempenho relacionados com esta função. Alguns incluem ainda a possibilidade de gerir o serviço de acordo com a norma ITIL (Information Technology Infrastructure Library), se bem que para o assunto em questão, o recurso ao ITIL não seja na minha ótica imprescindível. Apresentam-se a seguir apenas três exemplos deste tipo de software:

Numa equipa de TIC em que há vários tipos de atividades, é importante classificar essas atividades e definir objetivos de acordo com essa classificação. Seguem-se um exemplo de um objetivo que pode ser aplicado a avaliados que pertencem a este tipo de profissionais.

Objectivo
Melhorar o tempo médio de resolução de pedidos de Helpdesk dos seguintes tipos: Software, Hardware, Printing, Videovigilância e Rede, classificados com prioridade média ou urgente.
As datas de início e final dos pedidos deverão ser as da data de recepção dos pedidos na Divisão, nomedamente quando registados no sistema de gestão de tickets, independentemente da forma de chegada. A data de resolução deve corresponder à data em que o pedido foi efectivamente resolvido (ticket
close).
O avaliado pode requerer a supressão de contabilização de alguns tickets que não possam ser efectuados por razões que não lhe possam ser imputáveis, como por exemplo falta de material.

Indicador de medida
Tempo médio de resolução de pedidos

Critérios de Superação
Supera se o tempo médio for inferior a 6 dias
Cumpre se o tempo médio se situar entre 6 e 11 dias
Não cumpre se o tempo médio for superior ou igual a 12 dias

É muito importante que os avaliados possam ter informação sobre o seu desempenho, pois só assim poderão percepcionar o grau de cumprimento do objetivo a si definido. Muitas vezes (um dos problemas que se apontam ao SIADAP), a monitorização ao longo do ano não é efetuada e os avaliados só têm noção dos indicadores quando já não têm possibilidade de os inverter (para os casos em que não são cumpridos).
É portanto importante que as ferramentas escolhidas para gerir as atividades das equipas, possam dar essa informação em tempo real, como se apresenta no exemplo seguinte:
Exemplo medidação SLAs

No exemplo anterior, estão calculados os TMR (Tempo Médio de Resolução) dos tickets por tipo. Estes gráficos devem estar visíveis, por exemplo, num dashboard da aplicação de gestão de tickets.

Desta forma é possível com muita facilidade avaliar o desempenho do avaliado, validando se os SLAs individuais para si definidos foram ou não cumpridos, sem margem para quaisquer subjectividades.

Espero ter contribuído para ajudar a simplificar esta tarefa, nomeadamente aos avaliadores desta área. Se se achar pertinente, posso contribuir com mais alguns exemplos de objetivos SMART para a área das TIC.

Dados de Lisboa abertos – Desafio à comunidade


image

A CM de Lisboa, em colaboração com a AMA apresentou no dia 19 de Dezembro, o projeto de Open Data Lx.

De acordo com o site de apresentação do projeto:

O “Open Data Lx” é um projecto da Câmara Municipal de Lisboa, desenvolvido em parceria com a Agência para a Modernização Administrativa (AMA), que disponibilizará, a todos os cidadãos, colecções de dados sobre a cidade de Lisboa, nas mais diversas áreas, de modo a poderem ser utilizados no âmbito de trabalhos de investigação ou no desenvolvimento de aplicações informáticas que possam ser úteis à cidade.

In Open Data, http://www.lisboaparticipa.pt

Este projeto expõe diversos catálogos de dados, a pretende potenciar novas aplicações e novas formas de “ver” os dados públicos e com isso valoriza-los, melhorar a administração autárquica, gerar riqueza e criar oportunidades.

É um desafio aberto à comunidade de parceiros e programadores.

image

A primeira aplicação divulgada é esta, pela Mr. Net

Lisboa 360 – Aplicação com informações diversas sobre a cidade de Lisboa.

Noticias relacionadas: Dados abertos – Um desafio à comunidade

Guia do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa


image

Já aqui fiz referência à entrada em vigor do novo acordo ortográfico da Língua Portuguesa em 2012, e referi ferramentas e guias já publicados. Com o aproximar de 2012, a Assembleia da República também elaborou um guia, entretanto publicado, para apoio ao processo legislativo e outros. Deixo aqui a transcrição do anúncio:

A Assembleia da República, a partir de 1 de Janeiro de 2012, passa a aplicar a ortografia constante do Acordo Ortográfico em todos os seus actos legislativos e não legislativos, bem como nas suas publicações oficiais e instrumentos de comunicação com o exterior (Diário da Assembleia da República I e II Séries, Canal Parlamento, edições e portal da Internet).
O presente Guia tem como objectivo descrever e apresentar as novas regras da grafia portuguesa previstas no Acordo.

Guia do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa

Quer saber como surgiu o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa?

in site da Assembleia da República, 11-08-2011

Outras fontes de informação:

Interoperabilidade em consulta pública


image

Até 30 de Outubro de 2011, está aberta em consulta pública um conjunto de normas que constituirão o essencial do futuro Regulamento Nacional de Interoperabilidade Digital, que estabelece a adopção de normas abertas nos sistemas informáticos do Estado.

A participação está aberta a todos os interessados que, entre 30 de Setembro 2011 e 30 de Outubro 2011, podem aceder a http://participacao.gov.pt/ e deixar os seus comentários ou sugestões.

Ver também: Lei das Normas Abertas

Os Modelos de Comunicação Institucional nas Comunidades Intermunicipais


image

A sensibilização das populações e dos agentes económicos e sociais para o modelo de desenvolvimento local depende, em muito, da dinâmica de comunicação local, seja na perspectiva mais político-administrativa, seja na vertente eminentemente política ou na comunicação simbólica. Assim considerou-se oportuno e importante a realização de uma Conferência denominada “Os Modelos de Comunicação institucional nas Comunidades Intermunicipais”.

A conferência será realizada no dia 19 de Maio de 2011, tendo como segmento alvo os Secretários Executivos e Presidentes das CIM, os respectivos Autarcas dos Municípios que constituem as CIM, os Dirigentes e Técnicos da área de comunicação das respectivas CIM e ainda os Dirigentes e Técnicos dos gabinetes de comunicação dos Municípios que constituem as CIM, bem como o público Universitário.
Esta Conferência é uma das primeiras intervenções realizadas ao nível da mudança de paradigma na Comunicação da OesteCIM. O resultado desta conferência e as conclusões nela debatidas irão permitir desenvolver e implementar um projecto de mudança com vista a valorizar a comunicação intermunicipal quer de tipo corporativo quer institucional.

Consulte o Programa Provisório da Conferência

Ficha de Inscrição on line

in Portal OesteCIM

Emirados Árabes Unidos visitam Camões


image

Deixo aqui uma referência à notícia publicada pelo Diário das Beiras sobre a visita, esta semana, da Sheikha Hind Al Qasimi dos Emirados Árabes Unidos às escolas da Lousã para verem in-loco a plataforma Camões da Microfil.

Continue a ler Emirados Árabes Unidos visitam Camões

SEAL comunica por SMS


O serviço InfoSEAL não será, certamente, novidade para os senhores presidentes de câmara, seus destinatários. Novidade, penso, é a publicação destas mensagens no Portal do Gabinete do Secretário de Estado da Administração Local através de um serviço s chamado SMS do SEAL . Este serviço anuncia-se assim:

A transparência dos actos do Governo constitui um valor inalienável que nunca poderá ser posto em causa, como pretendeu fazer recentemente um partido político.
Nesta conformidade, aqui ficam todas as informações SMS, passadas e futuras, enviadas às e aos  Presidentes de Câmara.
Este serviço público de informação continuará, pois, a concretizar-se, em nome dos interesses objectivos do Poder Local e do dever de informação que nos assiste.

… e está disponível aqui.

Continue a ler SEAL comunica por SMS

A minha rua – Streetcare


image

Muitas autarquias tem desenvolvido soluções para implementar o conceito “A minha rua” que permitem aos cidadãos a identificação de situações anómalas nos seus espaços públicos.

O resultado são aplicações mais ou menos conseguidas, muitas vezes baseadas em formulários, sem recurso a mapas e assentes em infra-estrutura local (com necessidade de hardware, software).

Neste final de ano queria deixar-vos aqui uma referência para a aplicação Streetcare desenvolvida em Windows Azure (na núvem), sem necessidade de hardware ou software local, de baixo custo e que pode ser implementado muito rapidamente (15m é o tempo de setup). Podem ver uma demo totalmente funcional aqui.

Video Streetcare para “A minha rua”

 

A aplicação Streetcare está já disponível para o mercado Português.

Boas entradas e um ano de 2011 cheio de inovação.

CSP 2.0 disponível para download


image

No Demo Network de Public Sector da Microsoft foi esta semana publicada a imagem virtual do CSP 2.0, apresentado em Lisboa no passado dia 15 de Setembro a parceiros Microsoft. A imagem virtual está disponivel para download e inclui código fonte de exemplo que poderá guiar parceiros e clientes a “acelerar” a construção das suas soluções finais.

Esta demonstração inclui um script completo para permitir maximizar o beneficio deste demonstrador. O demonstrador pode correr localmente (fazendo previamente download de uma imagem virtual) ou também se pode optar por correr a imagem virtual directamente do site de demos.

As funcionalidades que podem ser demonstradas são:

    • Citizen portal and personalized citizen home page (Sharepoint, Infopath, LiveID for authentication)
    • Case management and BI using integration of the Citizen and Intranet portals (Sharepoint & Infopath) with Dynamics CRM 4.0 (CRM 2011 will be coming in a later version)
    • Integration with third party social applications like Facebook and Twitter to encourage citizen collaboration.
    • Reporting with PowerPivot.

Instruções de acesso

Consultar o o catálogo de demonstrações disponiveis.

image

CSP 2.0 Virtual Image e Script de demonstração.

image

É necessário fazer log-in com um Live ID (msn/hotmail/live etc..), e depois…

image

…download da VM. São 40 Gb!

image

Boa sorte!

inov

Subscreva a Autarquia Digital e acompanhe o Fórum de Inovação Autárquica.

[tweetmeme only_single=”false”]

CM de Matosinhos ganha Prémio Boas Práticas


image

O projecto Simplificar-me da CM de Matosinhos recebeu o prémio de Prémio Boas Práticas no Sector Público na categoria Serviço ao Cidadão, Administração Local da Deloitte, Diário Económico, Instituto Nacional da Administração Pública (INA) e da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD).

O objectivo do Prémio Boas Práticas é promover a partilha de conhecimentos entre entidades em situações similares, através da divulgação de projectos que melhoraram a prestação do Estado, em prol do cidadão.

Outras referências:

Recordo aqui o caso de estudo e o vídeo que a Microsoft havia produzido para divulgar este projecto agora premiado.

CM Matosinhos

Exemplos de Gov 2.0


image

Numa altura em que se fala (e vai falar aqui) muito de Gov 2.0 / Web 2.0, queria aqui deixar uma compilação de exemplos de aplicações Gov 2.0 de outras paragens.

Serviços Públicos

  • Love Clean Streets – The site allows you to review and submit environmental issues and have ‘London Love Clean Streets’ deal with it
  • Miami 311 – Online application to record, track, and report on nonemergency incidents.
  • Freedom Speaks – California based political social network uses Windows Azure to  enable citizens to report faults and GPS enabled smartphones to log the location of problems
  • San Francisco 311 – Solution for fault reporting and street management
  • Streetcare – Solution for fault reporting and street management

Coordenação de Serviços e Colaboração

  • Boulder County – Uses  a Windows Azure Solution to allow over 100 agencies social  services to be better coordinated and effective through sharing information on services to users and well as managers

Transparência

  • City of Edmonton – Wanted to operate more openly by making data about schools, parks, transit stops, and other city matters easily accessible to the public. By basing its “open data catalog” on the Microsoft Open Government Data Initiative solution and Windows Azure platform, Edmonton brought its catalog to market in just three weeks, increasing its transparency at a dramatically lower cost over alternative software and hardware options.
  • Vancouver  – city uses Azure based open data platform to  publish large quantities of local information from resources and services through to KPIs and commitments. The data is accessed using the Open Government Data Initiative (OGDI) and is the framework for Vanguide – which is the project name. By publishing these datasets of which goverments have many into the cloud then 3rd party developers can build application that consume the data – making better use of the information and also reducing development costs for the city.  Video here.
  • Ireland – planning applications reporting service.
  • Public 360 – partner application hosts public records in the cloud lowering costs and increasing access to records by established Scandinavian partner Software Innovation.
  • Windows Azure Marketplace is a repository of commercial and government datasets including  European Environment AgencyUS Government and many others allowing commercial value from government produced data.

Participação

  • Microsoft TownHall is an open source toolkit and application from Microsoft which enables political debate, interaction and crowdsourcing from citizens to government. A similar application in the same category Social Rally, by Microsoft Partner Synteractive.
[tweetmeme only_single=”false”]

Portal da Educação dos Açores


image

O Sistema Educativo Regional dos Açores dispõe agora do “Portal da Educação”, uma plataforma digital para todos os agentes educativos do arquipélago.

O Portal da Educação dos Açores permite a centralização da informação relativa à Educação, e facilita o envio de informações rápidas (e-mail, sms) entre as várias estruturas da Direcção Regional da Educação e Formação (DREF), o pessoal docente e não docente, os alunos, os encarregados de educação e as escolas.

Outra das vantagens deste portal é a rentabilização dos recursos, podendo qualquer funcionário da DREF susbmeter informação que considerar útil, sem que para isso seja necessário um técnico especializado em sistemas de informação.

Este Portal foi desenvolvido pela CaveDigital para as Direcções Regionais de Educação e Formação e Ciência, Tecnologia e Comunicações dos Açores.

Este Portal pode ser consultado aqui.

[tweetmeme only_single=”false”]

Autarquias: Quer partilhar as suas boas soluções?


 

image

Conhece uma autarquia que tem uma solução que funciona, é eficaz para o fim a que se destina? Tem uma aplicação inovadora, integrada e que as pessoas utilizam mesmo no cumprimento das suas tarefas diárias?

Quer divulgá-la aqui na Autarquia Digital?

Mande-me um artigo (máximo 1 página A4 em plain text) com uma ou duas imagens de exemplo e pode “linka-la” para a sua página, ou para a sua aplicação. (pode ser proposto pela autarquia, por uma pessoa individual, ou por um parceiro implementador).

Tem de ter tecnologia Microsoft associada?

Bem.. ter, não tem, mas se não tiver não é a mesma coisa, pois não? :)

Subscreva a Autarquia Digital aqui.

Junte-se ao forum de discussão sobre inovação autárquica!