O Presidente de Câmara do Futuro (muito próximo)


Apresentam-se a seguir alguns episódios do dia-a-dia de um Presidente de Câmara, que relatam a forma como a tecnologia pode ajudar a gerir vários temas de uma Autarquia Local, contribuindo para o aumento da eficiência organizacional e para garantir tomadas de decisão melhor fundamentadas.

10:00h (via Skype fazendo atendimento a empresas)

Munícipe A: Bom dia Sr. Presidente. Desculpe estar a incomodá-lo, mas gostaria de lhe questionar se há interesse para o seu concelho, na instalação de um empreendimento turístico, para desenvolver a prática do Golfe?
Presidente: Bom dia, não incomoda absolutamente nada. É claro que temos muito interesse nesse tipo de investimento. Vou encaminhar o nosso chat para a minha chefe de gabinete, para que possamos agendar uma Videoconferência, onde estarão os Sr.s Vereadores do Turismo e do Desporto.
……

continuar a ler

(artigo publicado no site www.i-gov.org)

Município de Pombal promove evento dedicado à Gestão Documental


O Município de Pombal, em parceria com a Normática, vai organizar no próximo dia 6 de Junho o evento «Autarquias 3.0 – O Poder da Integração das Aplicações na Administração Local».

No decorrer do evento, que terá lugar no Teatro-Cine de Pombal a partir das 9:00 horas, serão apresentados alguns dos projetos implementados pela autarquia na área da gestão documental.

No centro desta iniciativa, que vai contar com a presença de Feliciano Barreiras Duarte, Secretário de Estado Adjunto do Ministro-Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, estará uma demonstração do projeto de gestão documental Webdoc 2.0, implementado pela Município de Pombal.

Além deste projeto, o nosso Município irá apresentar duas outras aplicações de desmaterialização de processos na área do Urbanismo e reuniões de Câmara.

Programa

  • 9:00 – Receção
  • 9:30 – Boas Vindas: Engº Narciso Mota (Presidente da Câmara) | Dr. Martinho Almeida (Presidente do Conselho de Administração da Normática)
  • 9:50 – Modernização da Administração Local: Dr. Feliciano Barreiras Duarte (Secretário de Estado Adjunto do Ministro-Adjunto dos Assuntos Parlamentares)
  • 10:20 – Apresentação Normática e Visão para as Autarquias Locais: Pedro Soeiro (Centro de Competências OutSystems da Normática)
  • 10:40 – Coffee Break
  • 11:00 – Live Demo – Aplicações no Município de Pombal – WebDoc 2.0, WebMeeting, WebSigu: Nuno Salvador (Município de Pombal) | Vera Pereira e Bruno Rodrigues (Normática)
  • 12:00 – Debate
  • 12:45 – Encerramento

Assista ao Webcast em http://www.ustream.tv/channel/autarquias-3-0

 

Portal do Executivo na CM de Cascais


A Câmara Municipal de Cascais implementou uma Solução para desmaterializar os processos de elaboração de propostas e de tomada de decisão, bem como para digitalizar as Reuniões de Câmara, com recurso ao CaveDigital Board Meeting: o Portal do Executivo da Câmara Municipal de Cascais.

Os processos, com a eliminação da tramitação física, passam a beneficiar dum ganho …potencial de agilidade para as aprovações.

Em harmonia com a utilização do Cartão de Cidadão, é possível despachar e assinar digitalmente as propostas para Reunião de Câmara.

A agenda da Reunião de Câmara e votação eletrónica são também suportadas, podendo o Executivo Camarário acompanhar a reunião e consultar as propostas em discussão a partir do seu portátil ou tablet.

As Reuniões de Câmara públicas são acompanhadas pelo público, recorrendo à projeção da agenda e duma barra que resume a reunião, dando-se assim mais um passo por este Município no sentido da Democracia Digital.

Avaliação de Desempenho de profissionais de TICs na AP


Estamos numa altura em que todos os trabalhadores da AP (Administração Pública) têm preocupações na definição de objetivos para a avaliação de desempenho para o ano de 2012.

Todos os avaliadores são chamados a definir os melhores objetivos para avaliar de forma mais justa os seus avaliados. Não pretende este artigo apontar as virtudes nem os defeitos do SIADAP (Sistema Integrado de Avaliação de Desempenho na Administração Pública), previsto na Lei n.º 66-B/2007 de 28 de Dezembro, mas sim aflorar a importância na criação de SLAs (Service Level Agreement) para medir o desempenho dos avaliados em geral e dos serviços de Tecnologias de Informação em particular.

Se em algumas áreas a definição de objetivos pode ser um exercício complexo, na área das Tecnologias de Informação tal tarefa estará mais facilitada, bastando para isso recorrer à implementação de sistemas de gestão de atividades realizadas.

Entrando num exemplo concreto, a avaliação do serviço de Helpdesk (apoio aos utilizadores), é precisamente um dos que mais facilmente se podem definir SLAs e a sua medição. Para tal, é necessário o recurso a sistemas de gestão de Tickets, que facilmente registam a criação dos pedidos, assim como o seu fecho.

Existem várias soluções de gestão de Tickets que os departamentos de TICs podem recorrer para poder medir os indicadores de desempenho relacionados com esta função. Alguns incluem ainda a possibilidade de gerir o serviço de acordo com a norma ITIL (Information Technology Infrastructure Library), se bem que para o assunto em questão, o recurso ao ITIL não seja na minha ótica imprescindível. Apresentam-se a seguir apenas três exemplos deste tipo de software:

Numa equipa de TIC em que há vários tipos de atividades, é importante classificar essas atividades e definir objetivos de acordo com essa classificação. Seguem-se um exemplo de um objetivo que pode ser aplicado a avaliados que pertencem a este tipo de profissionais.

Objectivo
Melhorar o tempo médio de resolução de pedidos de Helpdesk dos seguintes tipos: Software, Hardware, Printing, Videovigilância e Rede, classificados com prioridade média ou urgente.
As datas de início e final dos pedidos deverão ser as da data de recepção dos pedidos na Divisão, nomedamente quando registados no sistema de gestão de tickets, independentemente da forma de chegada. A data de resolução deve corresponder à data em que o pedido foi efectivamente resolvido (ticket
close).
O avaliado pode requerer a supressão de contabilização de alguns tickets que não possam ser efectuados por razões que não lhe possam ser imputáveis, como por exemplo falta de material.

Indicador de medida
Tempo médio de resolução de pedidos

Critérios de Superação
Supera se o tempo médio for inferior a 6 dias
Cumpre se o tempo médio se situar entre 6 e 11 dias
Não cumpre se o tempo médio for superior ou igual a 12 dias

É muito importante que os avaliados possam ter informação sobre o seu desempenho, pois só assim poderão percepcionar o grau de cumprimento do objetivo a si definido. Muitas vezes (um dos problemas que se apontam ao SIADAP), a monitorização ao longo do ano não é efetuada e os avaliados só têm noção dos indicadores quando já não têm possibilidade de os inverter (para os casos em que não são cumpridos).
É portanto importante que as ferramentas escolhidas para gerir as atividades das equipas, possam dar essa informação em tempo real, como se apresenta no exemplo seguinte:
Exemplo medidação SLAs

No exemplo anterior, estão calculados os TMR (Tempo Médio de Resolução) dos tickets por tipo. Estes gráficos devem estar visíveis, por exemplo, num dashboard da aplicação de gestão de tickets.

Desta forma é possível com muita facilidade avaliar o desempenho do avaliado, validando se os SLAs individuais para si definidos foram ou não cumpridos, sem margem para quaisquer subjectividades.

Espero ter contribuído para ajudar a simplificar esta tarefa, nomeadamente aos avaliadores desta área. Se se achar pertinente, posso contribuir com mais alguns exemplos de objetivos SMART para a área das TIC.

As TIC na Administração Pública – Que Futuro?


image

A AMA apresentou As TIC na Administração Pública – Que Futuro? em que faz o balanço das TIC na Administração Pública, e propõem algumas direções para o futuro.

Começa por recordar que

Os organismos públicos têm tido a liberdade necessária para adquirir e gerir autonomamente as suas infra-estruturas tecnológicas, para adquirir os seus próprios sistemas de informação, para contratarem individualmente as suas comunicações e para criarem os departamentos necessários para a gestão e manutenção das TIC

e sugere como estratégias de futuro

CONCENTRAÇÃO DAS COMPETÊNCIAS DE ADMINISTRAÇÃO ELECTRÓNICA NUM ÚNICO ORGANISMO E MELHOR ARTICULAÇÃO COM AS POLÍTICAS DA SOCIEDADE DE INFORMAÇÃO

e ainda a racionalização da função informática sectorial através de:

  • Processo de centralização da função informática num único organismo por Ministério
    • Service-desk comum
    • Unificação Datacenters
    • Unificação serviços de administração, desenvolvimento aplicacional e licenciamento
    • Unificação dos serviços de infra-estrutura e comunicações
    • Unificação micro-informática
    • Unificação dos serviços de Governance, Estratégia e Arquitectura das TIC
  • Extinção, em cada ministério, dos vários departamentos com funções TIC existentes em muitos organismos públicos, alocando os recursos

Com estas medidas estima uma poupança TIC estimada de 30% ~150 milhões de Euros/ano.

Também propõe:

Estabelecer a obrigatoriedade de utilização da plataforma de interoperabilidade desenvolvida e gerida pela AMA, tendo em vista a uniformização de protocolos e procedimentos que facilitem a comunicação electrónica entre organismos da Administração Pública.

Pode consultar o documento aqui.

iAP – Interoperabilidade na Administração Pública


image

A iAP – Interoperabilidade na Administração Pública é uma plataforma central, orientada a serviços, tendo como principal objectivo dotar a Administração Pública de ferramentas partilhadas para a interligação de sistemas, federação de identidades, fornecedor de autenticação, messaging, pagamentos, entre outras, que permitam de uma forma ágil e com economia de escala, a composição e disponibilização de serviços electrónicos multicanal mais próximos das necessidades do cidadão e empresas.

Encontra-se disponível o documento INTEROPERABILIDADE NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Nele estão descritos todos os procedimentos necessários para adesão aos vários serviços disponíveis na iAP e qual a tecnologia requerida para integração dos Sistemas de Informação aderentes.

Os serviços disponíveis (visíveis) são:

image

Consulte o catálogo de serviços aqui.

Mais informação: Plataforma de Integração, Fornecedor de Autenticação, Plataforma de Pagamentos, Gateway de SMS, Perguntas Frequentes, Sugestões, AMA, Cartão de Cidadão

Governação e Gestão de TI


image

A IT Service Management Forum (itSMF) apresentou os resultados de uma avaliação do estado de maturidade da IT Governance em Portugal, realizada em parceria com a Agência para a Modernização Administrativa (AMA) e o ISACA Lisbon Chapter .

A avaliação, realizada através de inquéritos, engloba também as vertentes da Gestão TIC e segurança de informação , procurando comparar as tendências do mercado português com outros mercados, avaliados anualmente pela itSMF e pelo ISACA.

Pode consultar o relatório aqui.

CSP 2.0 disponível para download


image

No Demo Network de Public Sector da Microsoft foi esta semana publicada a imagem virtual do CSP 2.0, apresentado em Lisboa no passado dia 15 de Setembro a parceiros Microsoft. A imagem virtual está disponivel para download e inclui código fonte de exemplo que poderá guiar parceiros e clientes a “acelerar” a construção das suas soluções finais.

Esta demonstração inclui um script completo para permitir maximizar o beneficio deste demonstrador. O demonstrador pode correr localmente (fazendo previamente download de uma imagem virtual) ou também se pode optar por correr a imagem virtual directamente do site de demos.

As funcionalidades que podem ser demonstradas são:

    • Citizen portal and personalized citizen home page (Sharepoint, Infopath, LiveID for authentication)
    • Case management and BI using integration of the Citizen and Intranet portals (Sharepoint & Infopath) with Dynamics CRM 4.0 (CRM 2011 will be coming in a later version)
    • Integration with third party social applications like Facebook and Twitter to encourage citizen collaboration.
    • Reporting with PowerPivot.

Instruções de acesso

Consultar o o catálogo de demonstrações disponiveis.

image

CSP 2.0 Virtual Image e Script de demonstração.

image

É necessário fazer log-in com um Live ID (msn/hotmail/live etc..), e depois…

image

…download da VM. São 40 Gb!

image

Boa sorte!

inov

Subscreva a Autarquia Digital e acompanhe o Fórum de Inovação Autárquica.

[tweetmeme only_single=”false”]

Redução de custos, ou como investimentos minimos podem levar a significativas reduções de custos de operação das TI


De volta ao tema da redução de custos.

image

Descobri esta calculadora da Alinean, que faz uma análise detalhada de alguns vectores de redução de custos de infraestrutura tecnológicas.

Faz um questionário prévio, e produz um relatório detalhado(em Inglês) com muito bom aspecto, que pode ajudar a estabelecer algumas politicas de redução de custos.

Com perguntas semelhantes a estas…

image

…produz um conjunto de recomendações para anallisar com atenção.

9 ideas to make anyone a Cost-Cutting Hero

Na documentação anexa encontrei este whitepaper com 9 medidas concretas para cada um de nós se tornar um “Cost-Cutting Hero”:

  1. Server Virtualization to reduce infrastructure investments, energy and operations overhead costs, and help improve server administration –> $195 savings per user per year
  2. Database Consolidation -> $90 savings per user per year
  3. Better managing storage – $20 savings per user per year
  4. Leverage licensing to save more – $250 to $500 savings per user per year
  5. Implement server systems management to reduce administration costs -> save $46 per user per year
  6. Virtualized desktop applications help reduce application management costs -> $93 per user per year
  7. Implement PC standardization and security management to save on PC engineering -> $430 per user per year
  8. Unified Communications -> Saving over $1,123 per user per year in business and IT costs
  9. Collaboration -> saving over $200 per user per year just from printing and mailing savings

Energy Star – Como reduzir o consumo energético dos computadores


Numa época de preocupações ambientais, as nossas organizações nem sempre têm uma noção exacta do seu consumo energético, em particular nos computadores e monitores. Esta iniciativa da União Europeia – Energy Star – oferece umas quantas ferramentas para calcular qual o consumo de uma rede de computadores. Nessa altura poder-se-á descobrir que a simples mudança de monitores CRT para LCD produz uma redução de 73w para 25w num monitor de 17”. Vejam a calculadora aqui.

Portáteis amigos do ambiente

Numa leitura rápida, o mais significativo é a substituição de um PC por um portátil. O consumo comparativo é menor em 67% num portátil. Vejam este quadro.

Power Management Best Practices

No uso dos portáteis (e outros computadores) há uma série de medidas de poupança energética que devem ser consideradas. Neste documento estão listadas as Power Management Best Practices for Windows Vista.

Seria interessante fazer um estudo de consumo de energia de uma rede de comutadores e que medidas poderão fazer uma poupança real de custos e de emissão de CO2.

CSP Disponivel no codeplex


clip_image001

Depois de 2 anos de desenvolvimento e testes está finalmente disponível para a comunidade de parceiros o Citizen Service Platform (anteriormente referido como Digital Town Hall, ou Autarquia Digital), depois do anuncio feito no Porto em Abril deste ano.

image

Foi ontem publicado no CodePlex (em http://www.codeplex.com/csp) todo o código fonte (aberto e gratuito) e documentação para acelerar a construção de soluções especificas para autarquias inovadoras. Para aceder a todo o material e documentação é apenas necessário fazer um registo no CodePlex.

Especial destaque para um módulo sobre as Reuniões de câmara digitais que foi desenvolvido por um parceiro nacional (inicialmente para a CM do Porto – ver referência aqui), e que também está disponível no CSP agora disponível (embora numa versão light).

O CSP oferece um conjunto alargado de templates de serviços integrando Sharepoint, CRM e Biztalk especialmente bem posicionado para os nossos clientes autárquicos.

Convido-vos a olharem para CSP como alavanca de novos negócios no espaço autárquico.

Outras referências: