Cidadania 2.0: WikiCrimes


WikiCrimes: Plataforma para pesquisa, visualização e registo de ocorrências criminais

Logo da WikiCrimes

WikiCrimes é um software que permite a pesquisa, visualização e registro de ocorrências criminais em um mapa digitalizado.

A filosofia que norteia WikiCrimes é a mesma da enciclopédia Wikipédia. Parte-se do princípio que a participação individual pode gerar uma sabedoria das massas. Ou seja, se todos participarem o mapeamento criminal passa a ser feito colaborativamente e todos terão o benefício de ter acesso às informações de crimes no mapa. Por isso nosso slogan é “Compartilhe informações sobre crimes. Saiba onde não é seguro!”.

Página inicial do WikiCrimes

WikiCrimes foi criado por uma equipe de pesquisa com expertises nas áreas de computação e segurança pública.

O WikiCrimes disponibiliza aplicativos para você se manter informado dos crimes pelo seu dispositivo móvel, sendo ele iPhone ou dispositivos que utilizem o sistema operacional Android.

Filtros possíveis na plataforma WikiCrimes

Anúncios

Cidadania 2.0: Mapscrime


Mapscrime: Serviço de partilha de informação criminal, que possibilita ao cidadão aceder e registar as ocorrências criminais de furto e roubo

Logo da Mapscrime

O MapsCrime é um serviço pioneiro de partilha de informação criminal, que possibilita ao cidadão aceder e registar as ocorrências criminais de furto e roubo, e ainda, possíveis locais para reaver os objetos subtraídos.

Página inicial do Mapscrime

Este serviço insere-se no âmbito da tese de mestrado da criminóloga Laura Jota, tendo como objetivo principal ajudar os utilizadores a prevenirem-se de qualquer tipo de assalto, o que trará a longo prazo, uma diminuição e controle da pequena criminalidade.

O MapsCrime partilha com a sociedade dados fundamentais para a autoproteção criminal de cada cidadão, devido às suas informações, o cidadão movimentar-se-á mais informado e de uma forma mais segura.

Zoom e filtros possíveis no Mapscrime

Para além disso, o MapsCrime também ajudará na divulgação dos objetos subtraídos (ex.: carros, carteiras, etc.), o que aumentará a probabilidade do seu proprietário o reencontrar.Juntos construiremos uma comunidade mais informada, e consequentemente, mais segura.

Um dos crimes reportados no Mapscrime

Cidadania 2.0: Onde Fui Roubado


Onde Fui Roubado: Plataforma para reportar e encontrar roubos cometidos em cidades brasileiras

Logo do Onde Fui Roubado

O Onde Fui Roubado é um site que tem o objetivo de ajudar as pessoas a conhecerem mais e melhor a realidade da cidade e do país em que vive. Ajudar a mapear o perfil dos crimes que acontecem em sua cidade é uma ação que pode trazer uma série de benefícios, inclusive chamar atenção das autoridades responsáveis pela segurança em sua cidade a usar as informações aqui registradas em seu trabalho de combate e prevenção.

O vídeo explica o projeto e identifica as vantagens de reportar crimes através da plataforma.

 

OndeFuiRoubado - Cidade

OndeFuiRoubado - Ficha de crime

 

OndeFuiRoubado - Formulário

 

OndeFuiRoubado - Heatmap

 

OndeFuiRoubado - Estatísticas

 

OndeFuiRoubado-widget

Cidadania 2.0: Chega de Fiu Fiu


Chega de Fiu Fiu: Ferramenta colaborativa para mapear violência contra mulheres no Brasil

Logo do Chega de Fiu Fiu

Quais são os locais mais perigosos para as mulheres? Que tipo de violência elas sofrem em cada cidade? Existem poucos dados que ajudem a responder essa pergunta, mas a campanha Chega de Fiu Fiu, que luta contra o assédio sexual em locais públicos, quer tentar agora desvendá-los.

Para isso, está lançando o Mapa Chega de Fiu Fiu, uma ferramenta colaborativa para mapear os pontos mais críticos de violência contra mulheres no Brasil. Cada uma pode registrar o caso e o local da violência que recebeu. Com isso, as próprias vítimas ou testemunhas das agressões vão, unidas, nos ajudar a levantar esses dados.

Uma denúncia no Mapa Chega de Fiu Fiu

O mapa conta com as seguintes categorias:

  • assédio verbal
  • assédio físico
  • ameaça
  • intimidação (stalking)
  • atentado ao pudor (masturbação em público)
  • estupro
  • violência doméstica
  • exploração sexual.

Acreditamos que para se discutir violência de gênero devemos contemplar também as interseccionalidades. Por isso, acrescentamos racismo, homofobia e transfobia como categorias.

Formulário para partilhar história no Chega de Fiu Fiu

 

Mais informação sobre o projeto está disponível aqui e aqui.

Os dados recolhidos estão disponíveis para download.