Cidadania 2.0: DCID


DCID: Plataforma colaborativa online que permite a qualquer organização recolher e debater sugestões da sua comunidade

logo-dcid-7335d51ffd72e369478a62177d9b57d2

Através do DCID as Câmaras Municipais podem gerir os seus orçamentos participativos, os cidadãos podem dar a conhecer as suas preocupações e aspirações, e a assembleia da república pode aumentar a transparência das suas votações. E isto é só o começo.

Ações possíveis na plataforma DCID

Página de propostas na plataforma DCID

 

Anúncios

Cidadania 2.0: Mapscrime


Mapscrime: Serviço de partilha de informação criminal, que possibilita ao cidadão aceder e registar as ocorrências criminais de furto e roubo

Logo da Mapscrime

O MapsCrime é um serviço pioneiro de partilha de informação criminal, que possibilita ao cidadão aceder e registar as ocorrências criminais de furto e roubo, e ainda, possíveis locais para reaver os objetos subtraídos.

Página inicial do Mapscrime

Este serviço insere-se no âmbito da tese de mestrado da criminóloga Laura Jota, tendo como objetivo principal ajudar os utilizadores a prevenirem-se de qualquer tipo de assalto, o que trará a longo prazo, uma diminuição e controle da pequena criminalidade.

O MapsCrime partilha com a sociedade dados fundamentais para a autoproteção criminal de cada cidadão, devido às suas informações, o cidadão movimentar-se-á mais informado e de uma forma mais segura.

Zoom e filtros possíveis no Mapscrime

Para além disso, o MapsCrime também ajudará na divulgação dos objetos subtraídos (ex.: carros, carteiras, etc.), o que aumentará a probabilidade do seu proprietário o reencontrar.Juntos construiremos uma comunidade mais informada, e consequentemente, mais segura.

Um dos crimes reportados no Mapscrime

Cidadania 2.0: publicos.pt


publicos.pt: Uma ferramenta open source para empresas e cidadãos facilmente usarem dados públicos portugueses

logo_big

Uma ferramenta online onde empresas e cidadãos podem tirar proveito de 3 bases de dados públicas portugueses:

  • contratos e concursos públicos
  • deputados da Assembleia da República
  • leis portuguesas

 

publicos.pt - Gráfico de contratos

 

O publicos.pt está sincronizado com os dados oficiais com um erro máximo de 24h e tem como objetivo ser útil e fácil de usar.

publicos.pt - Gráfico de deputados

 

O publicos.pt apresenta também uma série de análises estatísticas que ajudam a compreender a realidade do nosso país através de indicadores macroscópicos calculados a partir dos dados (microscópicos) existentes.

publicos.pt - Gráfico de leis

O código fonte do site é público (no GitHub) e os seus dados são abertos (aqui).

A secção de Deputados deste site usa dados abertos produzidos pelo projeto demo.cratica.

Cidadania 2.0: DRE Tretas


DRE Tretas: Sistema de procura e armazenamento de Diários da República

Logo do Tretas

Este site disponibiliza uma cópia tão fiel quanto possível do Diário da República Electrónico e visa colmatar algumas lacunas desse serviço oferecendo:

  • partilhar ligações diretas para os documentos publicados
  • uma busca rápida e não demasiado sensível aos termos usados
  • buscas em texto livre
  • feeds que permitem acompanhar a nova legislação que vai saindo
  • avisos por mail de nova legislação.

Caixa de busca no DRE Tretas

Os utilizadores registados podem criar colecções de diplomas. Estas colecções podem depois ser organizadas de várias maneiras por forma a encontrar sempre todos os documentos desejados.

Item no DRE Tretas

Este sistema corre sobre Linux, utilizam-se os seguintes sistemas principais:

  • Base de dados PostgreSQL;
  • Índice feito utilizando a biblioteca Xapian;
  • Interface web feita com Django.

Todo o site foi feito usando software livre (código no GitHub).

A legislação recolhida do ‘dre.pt’ é também disponibilizada para download.

Cidadania 2.0: Zizabi


Zizabi: Plataforma web onde podemos escolher o melhor local para viver de acordo com as nossas necessidades

zizabilogo

O Zizabi revoluciona a forma como uma qualquer pessoa procura casa. Este portal faz com que seja possível procurar a localização e contexto em que pretendemos viver, e seguidamente procurar a casa dos nossos sonhos na geografia que definimos.

Mapa de área no Zizabi

De uma forma intuitiva e amigável, o Zizabi coloca os preços das casas em mapas de cores (de mais caro para mais barato) e usa indicadores como segurança, espaços verdes, boas escolas, entre muitos outros, para classificar a zona com vista a que o utilizador possa encontrar a casa ideal para as suas necessidades. Para tal, correlacionamos dados de fontes credíveis como INE, Censos, Ministério da Educação ou Ministério da Justiça para gerar rankings de qualidade de vida de todas as zonas do nosso país.

Mapa de preços no Zizabi

Além disso, o Zizabi permite determinar qual o preço justo para uma casa e ainda consultar reviews sobre zonas, feitas pelos nossos utilizadores (incluindo várias figuras públicas).

Estatísticas no Zizabi

Esta ideia surgiu devido ao conhecimento do setor imobiliário uma vez que, quando de uma visita a uma casa, as pessoas fazem várias perguntas sobre a zona, os transportes, as acessibilidades, entre outros factores. O passo seguinte foi usar os conhecimentos da equipa em Informática e Matemática para correlacionar os dados existentes, hoje acessíveis no Zizabi.

Escolas no Zizabi

A primeira versão do Zizabi foi lançada no CCB em Lisboa, palco do Prémio Nacional de Indústrias Criativas 2013, concurso no qual o Zizabi foi um dos 6 finalistas entre 339 candidatos

Cidadania 2.0: Baably


Baably: Plataforma colaborativa que possui informação relacionada com bebés e enriquecida pelos próprios pais e restantes utilizadores

Baably-logo

Baably é uma plataforma colaborativa que possui todos os locais, atividades, eventos, serviços e promoções relacionados com bebés. Todos estes conteúdos são enriquecidos pelos próprios pais e restantes utilizadores de modo a podermos aprender e partilhar as nossas experiências, contribuindo assim para o bem-estar dos nossos bebés. Baably é sinónimo de Baby Friendly.

Como surgiu o Baably?

No dia 4 de Outubro de 2013 nasce o João. Eu, mãe pela primeira vez, apercebi-me numa saída à rua que não sabia qual o fraldário mais próximo nem as suas caraterísticas e condições. Partilhei esta minha preocupação com o Sandro, o pai do nosso João e verificámos que não existia um local onde fosse possível, de uma forma simples, encontrar este tipo de informação. Decidimos então criar uma plataforma que nos ajudasse e a todos os pais a encontrar tudo o que precisam e a partilharem a sua experiência. Surge assim o Baably.

Mapa de locais no Baably

 

O Baably é um projeto que só pode resultar com a colaboração de pais, avós, tios, primos, padrinhos e amigos dos vários bebés portugueses. Todos podem participar, adicionando locais e classificando-os em termos de: acessibilidade para carrinho, condições dos fraldários, dos cantinhos de amamentação, dos locais de férias, etc.

Comentários no Baably

Cidadania 2.0: Central de Dados


Central de Dados: Repositório aberto de datasets Open Data em Portugal

Logo do Central de Dados

A Central de Dados é um repositório aberto de datasets Open Data em Portugal. Os dados publicados são provenientes de diversas fontes e estão sob a curadoria do Transparência Hackday.

Neste momento, os datasets estão em formato CSV.

A Central de Dados é uma ferramenta livre, e todo o código está disponível como software livre.

Esta ferramenta ainda está em construção!

 

CentralDados - home

Cidadania 2.0: Dados.gov


Dados.gov: Portal que publica e agrega a informação produzida pela Administração Pública em formatos abertos para que possa ser lida e reutilizada por qualquer cidadão

Logo do dados.gov

O Dados.gov é um portal que tem como função publicar e agregar a informação produzida pela Administração Pública em formatos abertos que possam ser lidos e reutilizados por qualquer cidadão. O objectivo fundamental da criação deste portal é facilitar o acesso à informação pública, promover a transparência da Administração Pública e ajudar na criação de serviços públicos electrónicos pela sociedade civil.

Inserido na temática do Governo Aberto, o Dados.gov surge na sequência de uma vaga mundial de criação de portais de reutilização da informação pública e ainda sustentado nas normas europeias de boas práticas da Administração Pública.

O Dados.gov, ao promover a reutilização da informação pública, está a fomentar igualmente a existência de novos serviços destinados aos cidadãos em geral. Estes serviços – as aplicações – são elaborados através da informação em bruto que é disponibilizada no portal e que, posteriormente, é adaptada para a criação de ferramentas úteis para o quotidiano.

O Dados.gov é um projecto da AMA – Agência para a Modernização Administrativa, IP, em colaboração com a Câmara Municipal de Lisboa e que conta com a participação de inúmeros organismos da Administração Pública Central, Regional e Local.

Página do catálogo de dados no Dados.gov

Cidadania 2.0: Uniarea


Uniarea: Portal de informação e debate sobre o Ensino Superior

Logo da Uniarea

O Uniarea pretende ser o portal de referência no que toca a informações sobre o Ensino Superior. Com um tom descontraído, mas sem perder o rigor, queremos comunicar aos jovens as suas possibilidades de futuro formativo e tudo o que lhe possa ser complementar, com vista à sua realização pessoal e à concretização dos seus sonhos.

Página inicial do Uniarea

 

Existe também para o intercâmbio de informações entre futuros, actuais e ex-alunos dos diversos cursos e instituições de ensino em Portugal. É possível interagir com outros utilizadores através de:

  1. Fórum
    O fórum permite a troca de dúvidas e informações sobre os diversos assuntos, permitindo uma mais fácil consulta da informação posteriormente quer pelo próprio utilizador quer por outros que possuam a mesma dúvida.
  2. Grupos
    Os grupos das diversas universidades, faculdades, escolas e institutos, bem como dos cursos, permite um contacto mais directo com futuros, actuais e ex-alunos dos mesmos e outras pessoas que lhes estejam ligadas.

Forum do Uniarea

 

Tal como em outras redes sociais podes adicionar outros membros, trocar mensagens privadas e ter acesso à uma timeline da actividade do portal.

Comentários no Uniarea

 

Com um directório de todas as instituições de ensino superior do nosso país, e uma constante actualização com notícias sobre o tema, tem como target jovens entre os 15 e os 24 anos.

Lançado no fim de Janeiro de 2014, tem registado um aumento exponencial nas visitas, não só de alunos portugueses, como também oriundos de toda a comunidade dos países de língua portuguesa.

Cidadania 2.0: Coopérnico


Coopérnico: Cooperativa portuguesa de energias renováveis

Logo da Coopérnico

A Coopérnico é a primeira cooperativa Portuguesa de energias renováveis e foi fundada em novembro de 2013 por um grupo de 16 cidadãos vindos de diferentes áreas profissionais e com diferentes backgrounds, mas que partilham uma preocupação comum: o desenvolvimento sustentável.

A nossa missão passa por envolver os cidadãos e empresas na criação de um novo paradigma energético – renovável e descentralizado – em benefício da sociedade e do meio ambiente. Defendemos um modelo energético renovável, justo e responsável que contribua para um futuro social, ambiental e energeticamente sustentável.

Modelo de funcionamento da Coopérnico

Modelo de funcionamento da Coopérnico

Como funciona na prática?

  1. Criamos uma grande comunidade de cidadãos e empresas com vontade de contribuir para um novo modelo energético, social e empresarial;
  2. Aplicamos as nossas poupanças em investimentos em pequenos projetos de energias renováveis em que cada um pode ser dono da parte que que desejar;
  3. A eletricidade que produzimos é integrada na rede elétrica e é comercializada para abastecer famílias e negócios;
  4. Os nossos projetos geram benefícios económicos, com a venda da eletricidade produzida, e ambientais, com a produção de eletricidade limpa (sem emissões de dióxido de carbono e outros poluentes):
  5. Distribuímos os benefícios gerados entre a sociedade, os investidores e o meio ambiente

Já fizemos a instalação de quatro projetos e estamos de momento a lançar o quinto. Estes projetos foram integralmente financiados pelos nossos cooperantes e por alguns parceiros europeus, nomeadamente da http://www.rescoop.eu/. De assinalar também que vamos entrar em breve no mercado de comercialização de eletricidade.

Projetos apoiados pela Coopérnico

Somos atualmente 102 cooperantes, já investimos um total de 151 000€ e produzimos 60000.0 kWh. Com os projetos que temos em funcionamento e em fase de conclusão, poderemos vir a evitar a emissão de quase 200 toneladas de CO2 para a atmosfera.

Estamos estruturados, para além dos órgãos sociais, por Grupos de Trabalho (que variam por tema e enfoque) e por Núcleos Regionais (consoante a localização de cada cooperante).

Cidadania 2.0: Cividade


Cividade: Plataforma web e aplicação mobile para os residentes colaborarem entre si e mapearem oportunidades para a sua cidade.

Cividade-logo

O movimento de cidadania empreendedora e construtiva – Dish Mob – ofereceu a todos cidadãos da cidade de Braga uma plataforma (em formato de rede social) para os cidadãos reportarem o que acham estar errado ou necessitado de reparação na cidade. Por outro lado, numa perspectiva orientada ao planeamento urbanístico, o portal que os cidadãos digam o que gostariam que houvesse naquele sitio especifico da cidade.

logostória

Trata-se de uma aplicação mobile (IOS e Android) e de uma plataforma web. Uma vista sobre Braga reportada pelos seus cidadãos!

No portal da Cividade o cidadão pode:

  1. Reportar problemas da cidade (iluminação publica, carros abandonados, buracos, incêndios e etc.)
  2. Expressar sonhos ou o que gostariam de ver na cidade. dando origem a um masterplan do cidadão!
  3. Criar projetos de intervenção (tipo como tornar o centro mais habitável), no qual se pode:
  • Fazer uma contribuição (tempo, dinheiro, materiais e etc…)
  • Organizar uma petição ou abaixo-assinado
  • Criar um evento ou reuniões

As aplicações móveis podem realizar as tarefas 1 e 2 em cima descritas.

Vontade na Cividade

 

Cidadania 2.0: eSolidar


eSolidar: Ecossistema de solidariedade

Logo do eSolidar

eSolidar é um ecossistema de solidariedade online que potência a comunidade para aumentar a sustentabilidade e visibilidade das organizações sem fins lucrativos, através da compra, venda e licitação de produtos, onde cada transação tem impacto social.

 

Cidadania 2.0: In My Shoes


In My Shoes: Projecto social que visa sensibilizar a sociedade para a integração de pessoas com deficiência e/ou incapacidade.

inmyshoes

Estando o indivíduo ao longo do seu ciclo de vida em vários contextos, desde que é criança até ser adulto, tivemos a necessidade de dividir a sociedade em três grandes eixos: Trabalho, Educação e Comunidade. No In My Shoes acreditamos numa cultura inclusiva.

“Cada um decide a pegada que deixa no Mundo. Como gostarias que fosse a tua?”

O projeto em breve terá uma plataforma online, atualmente em construção, e onde haverá informação sobre os três eixos de actuação:

  • trabalho
  • saúde
  • comunidade.

Para além dessa plataforma, o Facebook tem sido explorado de forma estratégica e usado como rampa de lançamento. O projeto está também noutras redes (Twitter, Google+ e LinkedIn), ainda que essa presença tenha que ser mais explorada.

Os benefícios identificados na utilização das redes sociais têm sido:

  1. Interação de forma mais direta com o público e ter um alcance muito interessante. Tudo isto é mensurado e permite adaptar os conteúdos semanalmente. Com 1940 seguidores atuais no Facebook, o alcance semanal do conteúdo chega às 16000 mil pessoas em Portugal e no Mundo;
  2. Os parceiros estão constantemente informados das atividades (comunicação clara e transparente), permitindo manter e consolidar estas redes;
  3. A informação é transmitida de forma actualizada aos nossos seguidores sobre os diversos temas ligados à missão do projeto.

As redes/ferramentas sociais têm sido potenciadoras da abordagem escolhida para este projeto. Foi pelas redes que começou e que as pessoas ouvem falar do projeto. As redes são muito importantes para o projeto In My Shoes pois, através delas, a informação pode chegar a qualquer pessoa que tenha Internet e dotá-la de conhecimentos e ferramentas que ajudem a melhorar a sua qualidade de vida e os serviços prestados a pessoas com deficiência e/ou incapacidade.

A participação em conferências e apresentações tem resultado num aumento imediato de seguidores e interações na página do projeto no Facebook.

 

Guia do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa


image

Já aqui fiz referência à entrada em vigor do novo acordo ortográfico da Língua Portuguesa em 2012, e referi ferramentas e guias já publicados. Com o aproximar de 2012, a Assembleia da República também elaborou um guia, entretanto publicado, para apoio ao processo legislativo e outros. Deixo aqui a transcrição do anúncio:

A Assembleia da República, a partir de 1 de Janeiro de 2012, passa a aplicar a ortografia constante do Acordo Ortográfico em todos os seus actos legislativos e não legislativos, bem como nas suas publicações oficiais e instrumentos de comunicação com o exterior (Diário da Assembleia da República I e II Séries, Canal Parlamento, edições e portal da Internet).
O presente Guia tem como objectivo descrever e apresentar as novas regras da grafia portuguesa previstas no Acordo.

Guia do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa

Quer saber como surgiu o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa?

in site da Assembleia da República, 11-08-2011

Outras fontes de informação:

Carta Administrativa de Portugal – 2011


image

A Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP) regista o estado da delimitação e demarcação das circunscrições administrativas do País. O Instituto Geográfico Português (IGP) é responsável pela sua execução.

A CAOP 2011, em vigor desde 8 de Agosto de 2011, foi estruturada tendo por base o Catálogo de entidades descrito de acordo com as normas ISO e segundo o modelo de dados já existentes. Os dados são administrados e geridos numa base de dados geográfica e a disponibilização da CAOP 2011 é efectuada em ficheiros em formato shapefile (shp).

Os atributos dos troços e das áreas administrativas foram harmonizados de acordo com o Projecto EuroBoundaryMap, versão 3.0 da Eurogeographics (EBM V3.0).

Destes atributos destacam-se os seguintes:

  • O estado do troço (definido, indefinido, não acordado e não confirmado);
  • A identificação do troço em relação à sua localização (em terra, na água ou coincidente com a linha de costa);
  • A classificação ou tipo de área administrativa (principal ou secundária, visto existirem freguesias com enclaves).

CAOP 2011 – Para efetuar o download dos ficheiros vectoriais, clique aqui.

Acordo Ortográfico em vigor na Administração Pública


No inicio de 2012 o Acordo Ortográfico da língua Portuguesa entra em vigor na Administração Pública.

Peça importante é o dicionário das ferramentas de Office para a correta edição dos textos em formato eletrónico.

Microsoft Office 2010

Deixo aqui o link onde se pode encontrar a atualização do Verificador Ortográfico e Verificador Gramatical para Português de Portugal o que permite ao Microsoft Office estar em conformidade com o novo acordo ortográfico para Português de Portugal.

Deixo também um link para uma infografia do Expresso que nos relembra quais são as alterações mais significativas do novo Acordo Ortográfico.

http://aeiou.expresso.pt/users/0/11/acordoortografico_0c7a53d2fb62859e64b0c8b91d85d8cc.swf

 

Nota: Texto escrito ao abrigo do acordo ortográfico.

Resultados preliminares dos Censos


image

Já são conhecidos os resultados preliminares dos Censos 2011, com alguns indicadores curiosos em relação à realidades autárquica – especialmente em termos demográficos.

Em termos gerais:

image

Os concelhos 5 mais e os 5 menos na variação da população

Na análise dos resultados preliminares dos Censos 2011 seleccionaram-se os 5 municípios com maiores variações (positivas e negativas) da população residente.
Destacam-se, com crescimentos acima dos 40%, os municípios de Santa Cruz (44,7%) na Madeira e Mafra (41,2%) na região de Lisboa. Fazem ainda parte do grupo dos 5 mais, com crescimentos superiores a 30%, os municípios de Alcochete (35,0%), Montijo (31,0%) e Sesimbra (30,9%).

Nos municípios com maiores decréscimos populacionais destacam-se, com perdas superiores a 20%, os municípios de Alcoutim (-23,2%) e Armamar (-21,9%). Integram também este grupo, os municípios de Idanha-a-Nova (-17,7%), Mourão (-17,5%) e Carrazeda de Ansiães (-17,3%).

Fontes: Censos 2011-Resultados Preliminares Download do documentoPDF (831 Kb) Quadros do Destaque Excel (115 Kb)

Programa do Governo e impacto nas autarquias


Foi publicado na passada semana o Programa do XIX Governo, que inclui – naturalmente – algumas considerações sobre as politicas a aplicar na administração local.

São inúmeras as áreas onde o governo se propõe a tirar partido da relação de proximidade que as autarquias tem com as populações, e apresenta medidas concretas nas áreas da segurança, acção social, no programa de emergência social ou na saúde.

No capítulo da reforma administrativa, inevitavelmente por-se-á a questão da redução do número de camaras municipais e juntas de freguesias, como impõe a troika, e os principios orientadores serão 1) proximidade com os cidadãos e descentralização administrativa e 2) subsidiariedade (conforme pag 74 do programa de governo). Propõe o reforço das associações de municipios e fala-se de uma agenda para a Mudança na Administração Local passará pela aprovação de uma nova Lei de Finanças Locais que atenderá à actual dependência autárquica das receitas da construção e do imobiliário.

A acompanhar.

Fontes: Programa do Governo e Discurso do Primeiro-Ministro na apresentação do Programa do Governo, em 30 de Junho de 2011 (Programa do Governo (por capítulos))