Cidadania 2.0: Curso Livre de Sobrevivência Rodoviária


Curso Livre de Sobrevivência Rodoviária: Curso livre sobre segurança rodoviária e prevenção da sinistralidade, nomeado Sobrevivência Rodoviária

Logo da Estrada Viva

A Estrada Viva (www.estradaviva.org) preocupa-se com a conflitualidade no meio rodoviário e com o número inaceitável e persistente de vítimas em território nacional, sendo também sensível ao alerta da OMS para o crescente número de vítimas a nível global. Este curso livre, anunciado no dia 11 de Maio de 2011, início da Década Global de Segurança Rodoviária 2011-2020, pretende ser um contributo para o esclarecimento da opinião pública, através de informação e formação técnica sobre as causas da sinistralidade e as estratégias para a sua mitigação.

Editores e colaboradores, partilham uma visão sobre o que entendem por mobilidade sustentável, acessibilidade para todos, segurança, responsabilidade cívica, espaços urbanos partilhados e ainda protecção da saúde e do meio ambiente.

Sendo o fenómeno da sinistralidade rodoviária um problema de saúde pública e que envolve todos os sectores da sociedade, estamos a criar um programa abrangente que vai da prevenção à reabilitação e que deverá abranger todos os utentes da via pública.

O curso é integralmente realizado em vídeo e complementado com outros recursos, permitindo ao utilizador aprofundar os temas que mais lhe interessam.

Os nossos colaboradores são técnicos com experiência reconhecida nas suas respectivas áreas de actuação que aceitaram dar o seu testemunho e os seus ensinamentos para este curso que se assume livre, acessível para todos via Internet.

Estrada Viva (capturado a 21 Set 2013)

Cidadania 2.0: Colab


Colab: Uma rede social para a cidadania que faz a ponta entre o cidadão e o poder público

Logo do Colab.re

Na Pernambuco TV:

Criado pela Quick, empresa de Gustavo Maia, Bruno Acaraty e Paulo Pandolfi, o Colab é uma rede social que tem como objetivo conectar pessoas com um interesse em comum: as cidades. A rede social permite que os cidadãos reportem diariamente os problemas das cidades, proponham novos projetos e soluções e ainda avaliem os serviços públicos.

A plataforma também tem um ranking de interatividade (gamification). A cada participação, o usuário recebe uma pontuação específica, que é somada a um número chamado “colab”.

Além da web, a nova rede social também tem aplicativos para iPhone (iOS) e Android. Atualmente o Colab está disponível para todas as cidades do país.

Aqui, podemos, juntos, construir melhores cidades, fiscalizando problemas, propondo soluções, avaliando entidades públicas e debatendo bastante com amigos e outros usuários com interesses em comum.

Andando pela rua, preste atenção em problemas rotineiros da cidade como: carros estacionados em local proibido, aquelas
calçadas irregulares que dificultam a vida do transeunte, ou mesmo um foco de dengue exposto a céu aberto.

Colab: Fiscalize, Proponha e Avalie

Colab: Fiscalize, Proponha e Avalie (Foto de Gisele Goes da techtudo)

Na techtudo:

A plataforma funciona em cima de três pilares: Fiscalize, Proponha e Avalie. A seção de Fiscalize é voltada para o dia a dia da cidade e os problemas encontrados nela. A publicação pode ser feita tanto pelo próprio navegador no Desktop ou pelo app em dispositivos móveis. O Proponha é um espaço para usuários sugerirem ideias ou projetos e promoverem discussões com os demais membros da rede. E, por fim, o Avalie é destinado para avaliação de serviços, instituições e entidades diretamente ligadas ao poder político.

Imagine projetos que poderiam mudar a dinâmica da sua cidade, estado ou até o país. Reflita, acesse o Colab e clique no botão “Proponha”. Escolha a categoria que melhor representa seu projeto. Coloque um título, descreva e utilize o botão de foto e/ou localização. Publique e faça uma grande discussão com seus amigos e os outros usuários. Divulgue seu projeto em outras redes sociais e encontre apoiadores.

Infografia resumindo o primeiro ano de vida do Colab

O primeiro ano de vida do Colab

 

Cidadania 2.0: Lisboa Devoluta


Lisboa Devoluta: Levantamento de edifícios devolutos em Lisboa

Lisboa Devoluta - mapa de edifícios

Mapeamento de edifícios devolutos em Lisboa feito pelos cidadãos que assinalam a localização do edifício no mapa e podem também partilhar informação sobre o mesmo na página que o projeto tem no Facebook.

Lisboa Devoluta - registo de edifício

Lisboa Devoluta no Facebook

 

Cidadania 2.0: WikiCrimes


WikiCrimes: Plataforma para pesquisa, visualização e registo de ocorrências criminais

Logo da WikiCrimes

WikiCrimes é um software que permite a pesquisa, visualização e registro de ocorrências criminais em um mapa digitalizado.

A filosofia que norteia WikiCrimes é a mesma da enciclopédia Wikipédia. Parte-se do princípio que a participação individual pode gerar uma sabedoria das massas. Ou seja, se todos participarem o mapeamento criminal passa a ser feito colaborativamente e todos terão o benefício de ter acesso às informações de crimes no mapa. Por isso nosso slogan é “Compartilhe informações sobre crimes. Saiba onde não é seguro!”.

Página inicial do WikiCrimes

WikiCrimes foi criado por uma equipe de pesquisa com expertises nas áreas de computação e segurança pública.

O WikiCrimes disponibiliza aplicativos para você se manter informado dos crimes pelo seu dispositivo móvel, sendo ele iPhone ou dispositivos que utilizem o sistema operacional Android.

Filtros possíveis na plataforma WikiCrimes

Cidadania 2.0: Mapscrime


Mapscrime: Serviço de partilha de informação criminal, que possibilita ao cidadão aceder e registar as ocorrências criminais de furto e roubo

Logo da Mapscrime

O MapsCrime é um serviço pioneiro de partilha de informação criminal, que possibilita ao cidadão aceder e registar as ocorrências criminais de furto e roubo, e ainda, possíveis locais para reaver os objetos subtraídos.

Página inicial do Mapscrime

Este serviço insere-se no âmbito da tese de mestrado da criminóloga Laura Jota, tendo como objetivo principal ajudar os utilizadores a prevenirem-se de qualquer tipo de assalto, o que trará a longo prazo, uma diminuição e controle da pequena criminalidade.

O MapsCrime partilha com a sociedade dados fundamentais para a autoproteção criminal de cada cidadão, devido às suas informações, o cidadão movimentar-se-á mais informado e de uma forma mais segura.

Zoom e filtros possíveis no Mapscrime

Para além disso, o MapsCrime também ajudará na divulgação dos objetos subtraídos (ex.: carros, carteiras, etc.), o que aumentará a probabilidade do seu proprietário o reencontrar.Juntos construiremos uma comunidade mais informada, e consequentemente, mais segura.

Um dos crimes reportados no Mapscrime

Cidadania 2.0: Onde Fui Roubado


Onde Fui Roubado: Plataforma para reportar e encontrar roubos cometidos em cidades brasileiras

Logo do Onde Fui Roubado

O Onde Fui Roubado é um site que tem o objetivo de ajudar as pessoas a conhecerem mais e melhor a realidade da cidade e do país em que vive. Ajudar a mapear o perfil dos crimes que acontecem em sua cidade é uma ação que pode trazer uma série de benefícios, inclusive chamar atenção das autoridades responsáveis pela segurança em sua cidade a usar as informações aqui registradas em seu trabalho de combate e prevenção.

O vídeo explica o projeto e identifica as vantagens de reportar crimes através da plataforma.

 

OndeFuiRoubado - Cidade

OndeFuiRoubado - Ficha de crime

 

OndeFuiRoubado - Formulário

 

OndeFuiRoubado - Heatmap

 

OndeFuiRoubado - Estatísticas

 

OndeFuiRoubado-widget

Cidadania 2.0: Chega de Fiu Fiu


Chega de Fiu Fiu: Ferramenta colaborativa para mapear violência contra mulheres no Brasil

Logo do Chega de Fiu Fiu

Quais são os locais mais perigosos para as mulheres? Que tipo de violência elas sofrem em cada cidade? Existem poucos dados que ajudem a responder essa pergunta, mas a campanha Chega de Fiu Fiu, que luta contra o assédio sexual em locais públicos, quer tentar agora desvendá-los.

Para isso, está lançando o Mapa Chega de Fiu Fiu, uma ferramenta colaborativa para mapear os pontos mais críticos de violência contra mulheres no Brasil. Cada uma pode registrar o caso e o local da violência que recebeu. Com isso, as próprias vítimas ou testemunhas das agressões vão, unidas, nos ajudar a levantar esses dados.

Uma denúncia no Mapa Chega de Fiu Fiu

O mapa conta com as seguintes categorias:

  • assédio verbal
  • assédio físico
  • ameaça
  • intimidação (stalking)
  • atentado ao pudor (masturbação em público)
  • estupro
  • violência doméstica
  • exploração sexual.

Acreditamos que para se discutir violência de gênero devemos contemplar também as interseccionalidades. Por isso, acrescentamos racismo, homofobia e transfobia como categorias.

Formulário para partilhar história no Chega de Fiu Fiu

 

Mais informação sobre o projeto está disponível aqui e aqui.

Os dados recolhidos estão disponíveis para download.

Cidadania 2.0: Zizabi


Zizabi: Plataforma web onde podemos escolher o melhor local para viver de acordo com as nossas necessidades

zizabilogo

O Zizabi revoluciona a forma como uma qualquer pessoa procura casa. Este portal faz com que seja possível procurar a localização e contexto em que pretendemos viver, e seguidamente procurar a casa dos nossos sonhos na geografia que definimos.

Mapa de área no Zizabi

De uma forma intuitiva e amigável, o Zizabi coloca os preços das casas em mapas de cores (de mais caro para mais barato) e usa indicadores como segurança, espaços verdes, boas escolas, entre muitos outros, para classificar a zona com vista a que o utilizador possa encontrar a casa ideal para as suas necessidades. Para tal, correlacionamos dados de fontes credíveis como INE, Censos, Ministério da Educação ou Ministério da Justiça para gerar rankings de qualidade de vida de todas as zonas do nosso país.

Mapa de preços no Zizabi

Além disso, o Zizabi permite determinar qual o preço justo para uma casa e ainda consultar reviews sobre zonas, feitas pelos nossos utilizadores (incluindo várias figuras públicas).

Estatísticas no Zizabi

Esta ideia surgiu devido ao conhecimento do setor imobiliário uma vez que, quando de uma visita a uma casa, as pessoas fazem várias perguntas sobre a zona, os transportes, as acessibilidades, entre outros factores. O passo seguinte foi usar os conhecimentos da equipa em Informática e Matemática para correlacionar os dados existentes, hoje acessíveis no Zizabi.

Escolas no Zizabi

A primeira versão do Zizabi foi lançada no CCB em Lisboa, palco do Prémio Nacional de Indústrias Criativas 2013, concurso no qual o Zizabi foi um dos 6 finalistas entre 339 candidatos

Cidadania 2.0: Mobilize Brasil


Mobilize Brasil: Portal brasileiro de conteúdo exclusivo sobre mobilidade urbana sustentável

Logo do Mobilize Brasil

O Mobilize Brasil visa contribuir com a melhoria da mobilidade urbana e da qualidade de vida nas cidades brasileiras. Isso significa que desejamos que nossas cidades sejam mais humanas e democráticas, com transporte público de qualidade, mais estrutura cicloviária e calçadas acessíveis, gerando menos acidentes e um ar mais limpo. Para buscar este objetivo geral, foram definidos 4 objetivos específicos:

  • prover conhecimento e conteúdo relevante, abrangente e de diversas formas sobre mobilidade urbana sustentável
  • fomentar o debate público sobre a temática
  • disseminar uma cultura cidadã participativa em prol da melhoria da qualidade de vida nas cidades
  • pressionar governos para implantarem políticas públicas efetivas de mobilidade urbana sustentável.

O portal tem várias secções dando resposta a estes vários objetivos.

Uma das secções corresponde à campanha Calçadas do Brasil criada para estimular a melhoria das condições de mobilidade para pedestres nas cidades do país. O objetivo é chamar a atenção da opinião pública para o problema da má qualidade, falta de manutenção, ou ausência das calçadas no país, e estimular as pessoas a denunciar os problemas em suas cidades e pressionar as autoridades.

Calçadas do Brasil no Mobilize

Avaliação de uma calçada

 

No Mobilize Brasil é também possível acompanhar a mobilidade através de uma série de indicadores recolhidos junto das Prefeituras.

Comparação de cidades brasileiras

Indicadores por cidade